segunda-feira, 14 de julho de 2014

STORM MASTER / CEREMONYA


STORM MASTER / CEREMONYA

Em junho de 2003, o baterista e vocalista Danilo Lopes, após deixar a Eterna, renomada banda de White Metal paulistana, inicia o trabalho de uma nova banda de Metal Cristão, chamada CEREMONYA (inicialmente batizada Storm Master).

Para compor a formação da banda, foram convidados Demian Tiguez (G/V), renomado músico, integrante da banda SYMBOLS, que revelou o atual vocalista do Angra, Eduardo Falaschi; Francis Botene (K/G), ex-Ministerium e Skylord; e Juninho Damasceno (B). Com a banda completa, os músicos iniciam o processo de composição do material. A intenção era de fazer algo diferente e mais pesado do que os trabalhos que faziam com suas antigas bandas. No mês de novembro, o baixista Juninho Damasceno deixa a banda, por motivos pessoais, sendo substituído por Diego Tiguez, irmão de Demian (G/V), músico jovem e muito talentoso. Em fevereiro de 2004, por motivos de saúde, Demian também precisa desligar-se do trabalho do CEREMONYA. Automaticamente, Diego (B), também sai da banda. Os remanescentes, Danilo Lopes e Francis Botene, iniciam novos testes para remontar o CEREMONYA. Para as guitarras, é convidado o talentoso integrante e produtor da banda VERSOVER, Gustavo Carmo. Ainda sem baixista, aceleram e renovam o processo de composição

o da banda, gravando seu primeiro CD-DEMO, atingindo um excelente resultado nas gravações, com uma característica bastante pesada e energética, tanto nas canções já existentes, como "Forgotten Brilliant Minds", "On Through The Night", "Stop The Night" e "Tribal Works", entre outras, como nas novas, como "Battle In The Air" e "Just Like A Thunder". Com este CD-DEMO na mão, não demorou nem um mês para o multi-instrumentista Marcelo Fleming assumir o posto de baixista do conjunto.

Sendo assim, em abril de 2004, o CEREMONYA é composto por Danilo Lopes (D/V), Gustavo Carmo (G), Francis Botene (K/G) e Marcelo Fleming (B). À procura de um frontman para a banda, os músicos iniciam os ensaios para as primeiras apresentações, que deveriam começar em junho próximo.

E como uma grata surpresa para todos, após alguns testes para vocalista, no final do mês de maio, Demian Tiguez retorna ao trabalho do CEREMONYA, compondo definitivamente o line-up que faria o show de estréia da banda, em São José dos Campos-SP, no evento católico Hallel Vale Rock In Concert, no dia 13/06/04 - coincidentemente, aniversário de Danilo. Que belo presente recebe Danilo. O show foi muito abençoado por Deus.

A partir deste show, a banda continua os ensaios para iniciar, além de um pequena tour pelo Brasil, a pré-produção de seu primeiro álbum, que deve ser lançado em 2005.

No mês de setembro, após imensa contribuição para o trabalho do ministério, Gustavo Carmo (G), por motivos pessoais, deixa o CEREMONYA.

Com a formação agora em quarteto, o conjunto continua seu trabalho, cumprindo várias datas pelo Brasil, incluindo sua participação em eventos de grande importância na Igreja Católica, Como Hallel Maringá Rock in Concert e Hallel Franca, obtendo, graças a Deus, excelentes resultados em sua missão.

Confiram algumas datas já agendadas:
13-06 – Hallel Vale Rock in Concert – São José dos Campos-SP
21-08 – Campinas-SP
05-09 – Hallel Rock in Concert Maringá-PR
11-09 – Hallel Franca Mod dos Musicos RCT -SP
01-10 – Metal Lord 2004 – São Caetano do Sul – SP
02-10 – Rock in Heaven - São Jose dos Campos – SP
12-10 – Embú das Artes – SP
14-10 – Curitiba – PR (à confirmar)
23-10 – Osasco – SP
30-10 – Ibiuna – SP (à confirmar)
31-10 – Blackmore – SP
13-11 – São Bento do Sul – SC
28-11 – Rock in Concert 5 – São Paulo – SP
05-12 – Itapetininga – SP.













10/11/04 
Ceremonya - Entrevista Demiam Tiguez e Danilo Lopes
ao site Whiplash.net


Por Richard Navarro
Desde a terceira edição do BMU (Fev/2003), quando o fenomenal Danilo Lopes, ex baterista e vocalista do Eterna, e o talentosíssimo Demian Tiguez, guitarrista e vocalista do Symbols, fizeram suas últimas apresentações ao lado de suas bandas de origem, seus fãs aguardam por notícias desses dois grandes ídolos do cenário do Metal undergorund brasileiro, para o qual ambos tanto contribuíram.

Eis que finalmente esses talentosos músicos se juntam e formam o Ceremonya, uma banda de Heavy Metal com temática católica, seguindo a missão de Danilo no Eterna, com instrumental e vocais poderosos e fortes influências do Metal tradicional da década de 80, destacando o sensacional dueto de vocais, característico das formações clássicas do Symbols e Eterna.

A banda surgiu com o nome de Storm Master, quando finalmente mudou para Ceremonya e estabilizou sua formação, que conta também com o excelente tecladista Francis Botene e o grande baixista Marcelo Fleming. Esta é a primeira entrevista oficial com o Ceremonya, que fará seu show oficial de estréia neste próximo domingo, 31 de outubro, no Blackmore Rock Bar em São Paulo, ao lado dos brasilienses do Khallice, e levando em conta o talento dos músicos envolvidos e o que nomes como Danilo Lopes e Demian Tiguez representam para o cenário do Heavy Metal no Brasil e o que conquistaram ao lado de suas bandas originais, podemos dizer que sem dúvidas o Ceremonya já nasceu vencedor e se transformará rapidamente no próximo grande ícone do Metal nacional. Conheçam em primeira mão a espetacular e promissora banda Ceremonya.


Whiplash - Embora ainda seja uma banda muito nova, o Ceremonya traz em sua formação músicos de grande renome do cenário Metal nacional, como Danilo Lopes, ex baterista e vocalista do Eterna, e Demian Tiguez, guitarrista e vocalista do Symbols. Como surgiu essa parceria e qual o objetivo de vocês com o Ceremonya, um projeto ou uma banda mesmo?
Danilo Lopes / O objetivo do Ceremonya (antes chamado Storm Master) sempre foi de ser uma banda e ainda, o é. Três meses após sair do Eterna, ou seja, em junho de 2003, eu estava pedindo a Deus, uma direção sobre quais seriam os próximos passos de minha vida musical. E muito claramente, a primeira pessoa que me veio à mente, para a guitarra e voz, foi o Demian. Além de ser um guitarrista bastante respeitado no meio metal, ele vem de uma família católica, sendo ele, também praticante de nossa religião; e sempre teve vontade de trabalhar com metal cristão. Liguei para ele e o lance rolou.

Demian Tiguez / Já fazia um tempo que eu tinha vontade de tocar com o Danilo, tanto pelo lado musical, quanto pela questão de tocar para Deus. Como ele falou, vivo a fé católica e já toquei com minha família em grupos da Renovação Carismática Católica. Sendo assim, esperava uma oportunidade para fazer este tipo de trabalho com o Metal na Igreja. Quando recebi o convite, aceitei no ato e estou bastante satisfeito com o estamos fazendo juntos.

Whiplash - Como chegaram aos demais integrantes? Fale sobre eles.

Danilo Lopes / O Francis Botene, tecladista, veio ainda antes do Demian. Nos conhecemos há um bom tempo, já que ele já tocou em duas bandas no meio Metal Católico: Ministerium e Skylord. Ele chegou a ser convidado para entrar no Eterna, na época em que o Douglas Codonho saiu da banda, e não pode assumir o trampo, porque havia começado a cursar a UNICAMP e tínhamos muito trampo marcado que exigiria dele, dar-nos exclusividade. O Marcelo Fleming, baixista curiosamente, também foi convidado para fazer teste no Eterna, na época da saída do Alexandre Emanuel Cláudio (B/V) e também não pôde por causa da faculdade, que tomava-lhe muito tempo na época. Atualmente, ele também toca com o Pe. Marcelo Rossi.

Whiplash - Danilo, você gravou 4 álbuns ao lado do Eterna e sempre teve uma participação muito ativa nas composições e shows da banda. Por que afinal deixou o Eterna logo após fechar de forma brilhante a primeira noite do BMU 2003?

Danilo Lopes / Na época, também não entendi. Porém, hoje, após um ano e meio de minha saída, vejo que tudo encaixou-se perfeitamente. Eles gravaram um novo álbum, que estou esperando o lançamento para conferir, mas pelo talento deles, que conheço muito bem, deve estar maravilhoso. De minha parte, estou com uma banda nova e estou muito feliz com o que estamos fazendo. Além disso, assumi definitivamente minha missão de pregador, algo que tem me dado a oportunidade de visitar muitas partes do Brasil, conhecendo ainda mais a minha Igreja e as ações de Deus através dela. Resumindo, para tudo, há um tempo na vida (Ecle 3). Fico muito feliz por tudo que fiz com o Eterna e tenho saudades de tudo que vivemos em sete anos de missão.

Whiplash - Demian, desde a terceira edição do BMU (2003), não tivemos mais notícias do Symbols. Na época vocês já estavam com o disco novo totalmente gravado e inclusive apresentaram uma música inédita que teve uma ótima aceitação. Por que motivo ainda não lançaram o disco e não fizeram mais shows? Qual a atual formação do Symbols e quando finalmente teremos novidades da banda e do terceiro disco?

Demian Tiguez / Após aquele show, tivemos problemas com empresários que trabalhavam com o Symbols. Tais problemas impediram que o disco fosse lançado como previsto. Alguns meses depois, a banda separou-se e precisei convidar novos músicos para recompor o time e seguir caminho. Em relação ao terceiro CD, seu lançamento deve acontecer até o final do ano. Muito em breve, estarei divulgando tudo o que estamos fazendo, tipo lançamento do novo CD, nova formação, shows, etc.

Whiplash - Tanto a formação clássica do Symbols quanto a do Eterna, era caracterizada pela presença de duetos de grandes vocalistas, o que tornava diferente das demais bandas. Vocês pretendem levar essa característica única nos discos e shows do Ceremonya?

Demian Tiguez / Pode crer. Eu já estou bastante acostumado com isto e não poderemos deixar isto de lado no Ceremonya.

Danilo Lopes / Com certeza, teremos dois vocalistas. Eu e o Demian estamos dividindo os vocais, em praticamente, todas as composições. Estamos no barato de explorar isto ao máximo.

Whiplash - De que forma poderíamos comparar a música do Ceremonya com o trabalho de vocês no Eterna e Symbols? Falem sobre a música do Ceremonya e suas principais influências.

Danilo Lopes / O Ceremonya está bastante diferente do Symbols e do Eterna, em termos sonoros. Partiu do princípio de que desejávamos fazer um som um pouco mais pesado, objetivo e agressivo. Além disto, a participação de toda a banda nas composições e arranjos. Como já é de praxe, é uma banda nova com elementos novos e diferentes, uns dos outros. Podemos citar que estamos tomando como base, bandas mais novas com bandas de Metal Tradicional.

Whiplash - As músicas do Ceremonya seguem temática cristã tal como o Eterna. Podemos então dizer que trata-se de uma banda White Metal e que todos os membros são católicos, incluindo o Demiam?

Demian Tiguez / Com certeza, cara. O lance de tocar para Deus, está sendo muito bom pra mim, como citamos na primeira pergunta.

Danilo Lopes / Sim. O principal motivo de nosso trabalho é o Evangelho de Jesus Cristo. Todos os membros são católicos.

Whiplash - A propósito, a banda já vem fazendo algumas apresentações em eventos do cenário católico. Como seus antigos fãs do Eterna tem recebido o Ceremonya?

Danilo Lopes / Graças a Deus, os shows têm sido bem legais em relação ao público. Tá rolando um clima bem interessante. Ainda não tocamos nenhuma música de nossas antigas bandas e é como se eles já conhecessem o nosso som. Estamos bastantes contentes com este fato.

Demian Tiguez / Não podemos esquecer também, que fizemos um show em Campinas, em agosto, que para um público quase 100% secular e foi bem legal.

Whiplash - Este show no Blackmore está sendo considerado a estréia oficial do Ceremonya no cenário Metal, o que vocês esperam desse show? O que os antigos fãs do Eterna e Symbols podem esperar dessa nova banda? Além das músicas próprias, vocês pretendem tocar algo de suas bandas originais?

Danilo Lopes / Será bem legal tocar nesta casa. O curioso é que já estávamos programando-nos para marcar uma data lá, quando recebemos o convite da organização. Acho que a galera que conhece o trampo de nossas antigas bandas vai conhecer algo bem diferente do que fazíamos. Pelo menos, é o comentário que temos ouvido de quem já nos viu ao vivo. Quanto a tocar músicas do Eterna e do Symbols, é bem provável que role...

Whiplash - Quantas músicas do Ceremonya já possuem? Quando pretendem lançar um CD?

Danilo Lopes / Estamos atualmente, com cerca de quinze músicas prontas e algumas outras em andamento. A intenção é fazer mais algumas para podermos escolher as melhores, para o CD de estréia, que deverá sair em 2005.

Whiplash - Muito obrigado pela entrevista, o espaço está aberto para as considerações finais.

Demian Tiguez / Muito obrigado pela força galera!! Espero que a galera compareça no Blackmore, dia 31/10 e curta o nosso trabalho. Fiquem com Deus.

Danilo Lopes / Valeu!! Muito obrigado pela força. E, mais uma vez, ao Blackmore Bar e ao Whiplash!, parabéns pelo apoio e atenção que sempre dedicaram às bandas nacionais. Deus os abençoe!!!!




REVIEW DO HALLEL VALE ROCK IN CONCERT 
13.06.04 - módulo Rock in Concert

Louvai ao Senhor em seu santuário e o santuário do Rock foi montado! Já na 2º edição, o módulo Rock in Concert marcou presença no Hallel Vale - Som e Vida do Vale do Paraíba em São José dos Campos e mostrou mais uma vez a festa da união de diferentes ritmos com a mesma forma de louvarmos o Nosso Senhor, ou seja, com muita música de qualidade. O destaque do RCT seria a estréia da mais nova banda de Danilo Lopes, o músico (baterista e vocalista) que mais influenciou na formação da juventude roqueira Católica atual e com certeza a noite prometia também com as bandas OCB, Século I, Ser, Oráculo, Apocalipse Prophecy e União                       Tocar um Rock de qualidade e poder provar que o Rock também é um estilo Santo era o papel daqueles meninos que vieram de todos os lados do nosso país.... Distrito Federal, Goiás e circuito São Paulo com a missão de resgatar a juventude sedenta do amor de Deus que atendeu ao seu chamado para saciar-se desse rock santo. 
CEREMONYA 
Agora os preparativos eram todos especiais, pois o próximo show prometia e muito. Num Passe de "mágica" o Módulo ficou mais entupido de gente do que parecia estar e num clima super legal, com o pessoal arrumando o palco com as luzes apagadas eis que surge Danilo Lopes e aos gritos da galera. Danilo de uma maneira sobrenatural começou uma marcante pregação orando em línguas, profetizando que ali aconteceria curas e libertações no meio daqueles jovens e cantando uma surpresa que deixou todos os roqueiros boqueabertos, cantou Glória (aquela mesmo imortalizada pela voz de Martin Val Verde) e foi recebido com chuvas e mais chuvas de palmas e acompanhado em coro pela galera. Dava-se início ao show da mais nova revelação do Metal Católico, subia no palco não mais Storm Master como disse Danilo, mas apresentava a sua mais nova banda Ceremonya. 
Confesso que a pregação de Danilo arrepiava e que gostoso foi poder ver aquele cara de volta aos palcos (seja bem vindo pra casa meu velho) e encher o nosso coração de orgulho ministrando a palavra de Deus verdadeiramente como grande Roqueiro fiel de Deus que ele é e foi muito bonito conferir quando ele declarou na frente de todo mundo o seu amor por todas as bandas e amigos que ali estavam e que lhe deram forças na hora em que ele mais precisou e dividiu com todos toda a providência de Deus o ajudando a formar o Ceremonya e também estreando sua banda num dia muito especial para ele, no dia de seu aniversário. 
Vale lembrar que a banda conta com um guitarrista que num precisa de palavras para descreve-lo como musico, o maravilhoso e talentoso Demian Tiguez, isso mesmo, aquele guitarrista da época de glória do Symbols, aquela banda que revelou o atual vocalista do Angra Eduardo Falaschi. Tentar escrever o que presenciei nesse show é tentar fazer o impossivel. 
Simplesmente o poder de Deus contagiou a galera com o show do Ceremonya, Danilo Lopes já com a primeira música já tratou de cativar o público com a sua monstruosidade em cima da bateria e com os seus vibratos maravilhosos e os YYYYYYEEEEEEEAAAAAHHHH que só ele sabe fazer!!! 
Vale lembrar também o maravilhoso contraste que foi a soma da voz de Danilo com a voz rasgada do Demian, caindo como luvas no som pesadíssimo com guitarras distorcidissimas em Ré, um Metal bem moderno mesmo com a levada a velocidade da luz com os bumbos nervosos de Danilo além de lembrar também a excelente performance e virtuosidade do guitarrista Gustavo Carmo, isso mesmo, aquele também que toca no Versover, uma grande banda do cenário metal nacional. O destaque ficou por conta da música "Battle in the Air" que possui um refrão maravilhoso e muito pegajoso, confesso que guardei o refrão até hj!!! 
Agora vamos tentar descrever o som dos caras...... um Metal pesadíssimo com vocais rasgadíssimos que passam do Thrash ao Hard Rock com facilidade, uma mistura de Queensryche com Nevermore, conseguiu entender? Não? Então não deixe de conferir o próximo show deles!!! 

Músicas do Show: Pregação/Glória/Oração, Battle in the Air , Stop the Night, Just Like the Thunder, Forgotten Brilliant Minds, ChildHood .

fonte: wmblog.blogspot.com.br



Nenhum comentário: